LEALDADE X DESLEALDADE – Parte 1

“Além disso, requer-se dos despenseiros que cada um se ache fiel.” I Cor 4:2

Queridos líderes, obreiros, servos de Cristo que labutam na seara do Senhor. Este artigo foi inspirado na leitura do livro com o mesmo tema escrito pelo pastor Dag Heward-Mills.
A lealdade é apresentada como uma característica forte na formação de um obreiro no Reino de Deus.
Espero que possamos pensar juntos sobre esta qualidade importante e necessária em todos os níveis. Tanto no sentido de nossa lealdade vertical (Deus e sua palavra) como no horizontal (Nossos relacionamentos; isto inclui nossos líderes, nossos liderados e perfeitamente aplicável em nossa família, trabalho…).
Analisando como igreja, vamos focar em nossa relação ministerial; o que envolve o serviço prestado no Reino de Deus e a igreja local, isto é o corpo de Cristo.
Este ponto é fundamental: Somos corpo e corpo de Cristo. Se fazemos parte do corpo então a virtude da lealdade irá contribuir para unidade e fortalecimento da igreja bem como para a expansão do evangelho e edificação dos santos.
A lealdade corresponde à maturidade emocional, enquanto a fidelidade é fruto de uma vontade de cumprir normas e compromissos assumidos.
A lealdade é uma questão moral, e é uma das bases para um relacionamento saudável entre duas ou mais pessoas. Reforço que como princípio de caráter cristão nossa lealdade como obreiros deve estar aplicada em nossa relação com Deus e na relação com nossos líderes e liderados.
As provas, desafios, lutas e adversidades são enfrentadas, superadas e vencidas de forma mais ampla e consistente onde existe a lealdade. No popular o leal está literalmente junto do seu líder para apoiar, se envolver, comprometer, dedicar, participar, aconselhar, sugerir, ou seja, veste a camisa. Isto significa estar na mesma visão e propósito, dentro do que nosso Senhor chamou e vocacionou a cada um.
Lealdade não é bajulação. Ser leal não é conivência com o pecado ou ainda mais, com práticas nocivas e distorcidas da verdade. Ser leal é estar alinhado com a missão e visão de sua liderança, uma vez que a liderança está igualmente alinhada com os princípios da palavra de Deus. Esta é a equação da lealdade cristã e ministerial.
O leal percebe e compreende seu papel dentro do corpo e assim desenvolve as ações em convergência com o cabeça que é Cristo. Quando os dons e ministérios foram distribuídos para edificação da igreja, compreendemos que a referida diversidade de operações do Espirito Santo de Deus estão de acordo com o papel que Cristo entregou para cada um desempenhar (I Co 12:4-11).
Alguns serão pastores, outros evangelistas, mestres e assim por diante. E cada um deve permanecer na vocação que foi chamado. (Efésios 4:11/ 1 Co 12:28) Quando agimos fora desta ótica bíblica, nos perdemos, nos equivocamos, erramos e promovemos a deslealdade. Como a obra de Deus necessita de obreiros leais. Como a obra de Deus sofre com os desleais. Quem é Leal é fiel. Isto exige de cada um a disposição em andar junto, em harmonia e sintonia; é assim que projetos são desenvolvidos de forma equilibrada e consistente.
O contrário é a Deslealdade. Neste caso isto prejudica muito o bom andamento da obra e a saúde do corpo de Cristo. Ela destrói as virtudes e ações desenvolvidas no trabalho. Como obra da carne a deslealdade esta vinculada ao partidarismo, inveja, dissenção, ciúme, ira, ódio e coisas semelhantes a estas… resultado direto da natureza humana caída e que necessidade de restauração através do novo nascimento em Cristo Jesus (Gal 5:20,21).
No aspecto ministerial o caminho da deslealdade segue estágios perceptíveis até alcançar uma concretização plena. Perceber como nasce, cresce e desenvolve esta atitude nociva ao corpo de Cristo , pode auxiliar a cada líder e liderado a combater este erro e auxiliar os que desejam redirecionar suas atitudes , se arrependendo da sua prática.
Para melhor compreensão de como a deslealdade age dentro de cada coração vejamos os seguintes estágios desta semente maligna.
Estágios da Deslealdade:
1. Espírito independente. No livro de Samuel temos a narrativa de um acontecimento que mostra as ações de Joabe em fazer diferente do que lhe foi orientado. Davi estava promovendo a paz e unificação do seu reino e decidiu perdoar Abner por todo período de guerra e conflito que existiu entre eles. Porém Joabe, capitão de Davi, não concordou com este perdão e preparou uma armadilha e matou Abner. Esta atitude de Joabe de assassinar Abner (2 Samuel 3.26,27) foi desleal com seu líder e com seu próximo. Quando estamos debaixo de liderança, precisamos aprender a obedecer nossos líderes. Com quem está o cajado (ferramenta de apoio ao pastor), está a condução do rebanho. A autoridade de condução do rebanho está fundamentada na palavra de Deus (Hb 13:17); é ela que orienta desta forma. É a palavra de Deus que traz a autoridade de governo para liderar. Se o líder segue os princípios da palavra, ele tem autoridade em sua liderança. É importante também compreender que existem muitas formas de organizar, desenvolver e executar as atividades na obra de Deus, e assim se faz necessário ter o coração humilde e aceitar sermos pastoreados e liderados. Existem atividades que o líder pode (muitas vezes deve) ouvir sugestões e ideias (isto é muito bom), existem outras situações que o líder esta seguindo um entendimento espiritual, como sendo uma direção de Deus para aquele cenário; já existem casos que ele precisa decidir fundamentado em sua experiência e vivência; isto quer dizer que existem muitas variáveis a serem levadas em consideração. Além disto, quando se trata da obra de Deus, todas estas decisões e percepções estão dentro da perspectiva bíblica, pois é o fundamento de nossa liderança Cristã. Por isto devemos ter cautela para que a discordância de uma metodologia ou ação não acabe gerando uma insatisfação dentro do nosso coração e assim promova sentimentos e atitudes desleais para com nossos líderes. Não se comporte como Joabe (nesta situação); ele foi desleal com Davi. E não parou aí. No caso de Absalão, Joabe de novo fez diferente do que foi orientado. Ele matou Absalão contrariando Davi (2 Samuel 18.14). Meus queridos agir de forma independente (dentro do contexto que estamos abordando) é agir sem o sentimento de pertencimento. É presunção e orgulho. Como obreiros, nesta seara, somos interdependentes. Quando deixamos que nosso ego dirija nosso comportamento, a conduta será igual a Joabe. Este é o conceito bíblico de corpo: Fazemos parte (I Co 12:27). Este é um assunto que acaba nos levando a análise de outros princípios que merecem ser estudados, como: Confiança, vida cristã, misericórdia, integridade, autoridade e outros tantos. Mas vou resumir, não achando que já esgotamos tudo, mas que apenas iniciamos uma reflexão, a saber: Pertencemos uns aos outros em Cristo e assim nos tratamos como irmãos, membros na mesma família. Temos nossos líderes e pastores e devemos estar conectados e submissos a sua liderança. Quem não sabe ser liderado, dificilmente saberá liderar.

Continua…

Pr. Wendell Miranda (2° vice-presidente da IEADEM, Superintendente do Sistema de Comunicação da AD em Mossoró)

Voltar Para Página Anterior

IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLEIA DE DEUS EM MOSSORÓ – IEADEM

Av. Dix-Neuf Rosado, 155, Centro – Mossoró-RN
CEP 59.610-280 | Fone: (84) 3321-5721
E-mail: contato@admossoro.com.br


© 2018 - Assembleia de Deus em Mossoró. Todos os Direitos Reservados